A multiplicidade de Ryou Win – Parte 2

Na segunda parte da entrevista, falamos sobre Elecbyte, a engime e a comunidade Mugen. Confira.

0 190

O carioca Ryou Win é, sem sobras de dúvidas, um dos grandes criadores no Mugen. Se você não relacionou o nome, talvez seja hora de entender a grandiosidade da contribuição que makers, como Ryou Win, trouxe para a comunidade. Só para citar alguns exemplos: o sistema “Tag Team”, lutar em quipe, durante a luta, tem um “dedo” do Ryou Win. Mas suas criações vão além disso.

Na segunda parte da entrevista, falamos sobre Elecbyte, a engime e a comunidade Mugen. Confira:

A Elecbyte sumiu do cenário. Você acha possível um futuro retorno?

Isso é um mistério! Não me entra na cabeça que uma empresa crie algo deste porte e não cobre, nem lance! Sei que

A última postagem no Twitter oficial da Elecbyte.

existem excelentes trabalhos de fãs.

Mas já vi venderem coisa muito mais vagabunda e fazerem algum sucesso. Então, pra que o Mugen serve? A quem o Mugen serve? Se o produto é de graça, o cliente é a mercadoria? Ou alguém pirateou uma engine de jogo de luta já existente pra chamar de sua e não pode cobrar pra não ser processado?

Uma teoria que costumo defender é que os anos 90 foram tão saturados sobre jogos de luta que tudo que é bom alguém já usou a ideia. Tipo mangá, sabe?

Então criaram uma engine amadora, nos moldes da SNK só que mais simples, para ver o que os fãs fazem e colher as melhores ideias.

Pois para mim foi inevitável comparar o Thor do MvC3 com a versão do Loganir que saiu cerca de 10 anos antes. E aquela vez que o On/Off (Onofre do “Trajes Fatais”) “agradeceu” a homenagem de terem copiado a char dele, a Lucy Fernandes?

Foi impagável a página que ele montou comparando as duas, detalhe a detalhe! Eu queria achá-la lá na WayBackMachine pra mostrar!

Conseguimos alguns prints. Leia mais aqui.

Seria espetacular descobrir que meu personagem (que saiu de 5 há 15 anos antes, dependendo da versão) pode ter tido alguma influência no RoboCop do Mortal Kombat 11. Ninguém prova que sim, nem que não. Posso estar me achando, mas esse pensamento me diverte!

Ryou Win ainda completa: “Já um retorno da Elecbyte… só o tempo dirá. Mas não vou esperar 10 anos de novo! É como esperar o próximo filme do Avatar”.

 Na sua opinião, por que não tivemos ninguém interessado em tocar o projeto?

Bom… tivemos! O ShugenDô tentou. E quando viu que dava trabalho, tentou cobrar grana dos fãs e ficou pelo caminho.

O HAMOOPI está tentando, mas ainda tem muito chão pela frente. O Project EF-12 tentou ser o “Mugen em 3D”, mas o povo gosta de consumir, não de programar 3D. Tem gente que cai pra trás quando tem que calcular um polígono.

A melhor tentativa por agora é o IkemenGo que, ainda catando bugs, faz um belo serviço!

Mas não é fácil! A Elecbyte nunca liberou o código e todas essas que citei estão tentando fazer via engenharia reversa (é o processo de descobrir os princípios tecnológicos e o funcionamento de um dispositivo, objeto ou sistema, através da análise de sua estrutura, função e operação.).

É praticamente criar outra coisa! Compatível então? Piorou! Nem faxineiro gosta de limpar a sujeira dos outros. Por isso que cobram!

 Se você pudesse fazer melhorias na engime, quais faria?

O Mugen é versátil, como o português. Tirar muita coisa o deixa pobre.

Ryou Win Mugen Maker

Mesmo assim, se não dá pra simplificá-lo, pelo menos alguma ferramenta (única… ou melhor explicada e mais suporte) pra deixar o processo mais rápido e o povo poder lançar jogos completos no mesmo tempo que levaria pra lançar personagens. (“Sonhar não custa nada!”)

Tirando isso, sinto falta de mudar o último chefe, tipo Street Fighter Alpha 1 e 2, inteligência artificial (que foi prometida e virou um único arquivo que NINGUÉM sabe como usar!), memória externa de dados (exportar informações, tipo pontuação ou evolução do personagem), interações melhores do personagem com screenpacks / cenários, uma variável pra identificar se o outro personagem é 720p ou não, rodar vídeos e mais parâmetros decentes para projéteis!

Você sabe que o inimigo criou um projétil assim como um cego ouviu alguém gritar que o assaltante tem uma faca: você não sabe quando isso ocorreu, se a faca está perto, se dá pra desviar e, caso a pegue, como jogar de volta!

Como está a comunidade Mugen?

Definhando. Ainda há gente interessada, mas depois de um tempo você cansa de ver as mesmas coisas só que com outra roupa!

Ryou Win Mugen Maker

O povo interessado está mais velho e cheio de responsabilidades. O povo novo está com outros interesses e acha que mais cômodo jogar com tela de toque. É natural da vida: uma coisa chega e faz sucesso quando há poucas opções e quando há mais opções, a coisa vira só mais uma opção de lazer.

Só me decepciono é com a complicação que a versão pra HD trouxe para a engine: passei anos vendo o povo chorar que queria rodar algo maior do que a tela de 320×240. Agora temos 640×480, 1280×720, 1280×960, 1920×1080… mas como você tem que converter tudo na mão para 4 vezes maior por tentativa e erro, o povo opta por fazer os personagens do mesmo jeito de sempre, pois tem mais material disponível! (Agora entendo por que jogos profissionais em HD levam anos pra serem lançados!)

Eu entendo saudosismo! Nada contra no fim das contas! Mas dos poucos personagens em HD, você vê muitos personagens de alta resolução feitos na base da gambiarra: o gráfico é grande, mas a máquina pensa nele como um personagem pequeno. Você prende algo na cintura dele e vai parar em cima da cabeça, prejudicando a interação!

Posso estar enganado, mas notei a falta da presença feminina na comunidade Mugen. O que acontece?

O Mugen foi a primeira comunidade onde conheci e fui vítima de comportamento tóxico. Você acha gente boa em tudo quanto é lugar, mas isso não te livra de achar gente ruim.

Ryou Win Mugen Maker

E você nem precisa procurar: esse povo te acha! Fui muito hostilizado na gringa e também tenho meus desafetos aqui.

Há todo tipo de motivo bobo: um administrador não foi com sua cara, a fama (segundo eles) do brasileiro de ser picareta ou só fazer coisa tosca, acusações de plágio, uma frase mal traduzida levando o outro cara a se ofender fácil, o “nós contra eles” tipo: “quem esse estrangeiro pensa que é pra achar que é tão bom assim?

É escassa a presença de mulheres na comunidade Mugen.

Vamos botá-lo no seu devido lugar!”, o fato de você esperar demais de alguém que promete mundos e fundos e se decepcionar… além do “cancelamento” e o “bullying” que sempre existiram, mas naquela época tinha outro nome.

E isso eu experimentei (e hoje em dia ainda rola) como homem. Imagine uma garota se aventurando por isso por conta própria, sem apoio e ainda correndo o risco de acharem que é homem fingindo ser mulher pra chamar mais atenção?

No lugar dela, que tipo de obcecada você teria de ser pra passar por essa quebra de expectativa e ainda voltar pra mais no dia seguinte? Se você, pessoa, consegue ter toda essa fibra, eu quero ser que nem você quando eu crescer!

Você é contra o uso de criações em compilações?

Já fui contra. Já deixei de ser…  Hoje em dia eu mudo a pergunta para: “eu posso impedir?”

Dizem que “quando você coloca algo na internet, isso não é mais seu, é do mundo!” … e isso se aplica aqui. E dizem que “o segredo é melhor guardado quanto menos gente ficar sabendo.” … você cria um personagem e solta pra 5 amigos pedindo segredo. Esses 5 amigos passam pra mais 5 cada ainda em segredo. Quanto tempo até alguém esquecer a palavra “segredo”?

Crio personagens que quero ver feitos. Se alguém pegar e fizer outra coisa, pelo menos o que eu queria ter, eu já tive. Simplesmente não dá pra se ter controle!

Quando meu RoboCop foi parar no “Mortal Kombat: The Choosen One” eu gostei. Ficou muito legal! Quando ele foi parar no “Mortal Kombat Project Babality Edition”, à princípio, eu detestei! Virou uma skin do Kurtis Stryker com um final tosco. Melhorou na segunda versão, admito.

Mas já passei a pensar diferente: “pelo menos não estão ME cobrando pelas tosquices dessa versão”, tipo quando alguém baixa a compilação que ninguém te consultou e quer que VOCÊ resolva um problema que ele achou no jogo! É a carroça na frente dos bois! Como quando saiu o filme do “Homem-Aranha De Volta ao Lar” e alguém comentou: “Legal, o Homem-Aranha agora faz piadinhas, quem nem o DeadPool!” … Aí é brincadeira, né?

Mortal Kombat Project Babality Edition

Todo mundo gosta de ser elogiado e reconhecido, mas contar com o Mugen pra isso é como contar com um guarda-chuva de papel! Você tinha que ser o primeiro satisfeito com o que está fazendo! Senão, por que ainda está fazendo?

Fale um personagem que você gostaria de ver sendo criado para o Mugen?

Personagem não! Eu queria jogos completos!

Coisas com tema! Não só um amontoado de personagens descompensados que te transformam em saco de pancada até o fim da luta sem a menor chance de reagir! Se eu pudesse eu faria o “Caverna do Dragão” com o visual do desenho, um Darkstalkers só com personagens da mitologia brasileira e um “Vingadores vs Super Amigos” com o visual de quando nossos pais ainda namoravam!

Temas continuando histórias que nunca vi o final! Até hoje não sei como acabou o “Homem-Aranha Sem Limites” e o “Terminator: Sarah Connor Chronicles”!

Caverna do Dragão é um dos sonhos de Ryou Win.

Poderia citar um maker que você admira e gostaria de ver uma entrevista?

Tem tantos que posso citar! Tenho contato com O Ilusionista (da Brazil Mugen Team), o Beto SSJ4 (criador do Jaspion – Beto’s Creations) e o FxFreitas (Criador do “Megaman X: Fighting Arena”).

Tem também o Zvitor (criador do “Justice League United – The Game”)… é difícil lembrar de todo mundo, pois muita gente abandonou o barco, como Loganir, o MamboJambo, o Ex_Inferis, o Erradicador… e tem os que ainda fazem algo, mas fora do Mugen, como o On/Off (Onofre do “Trajes Fatais”) mas este último já deu a “entrevista” dele em vídeos no Youtube contando sobre seu projeto da Onanim e como tomou uma volta dos colaboradores.

Está trabalhando em algum projeto atualmente?

Praticamente dois… meu projeto eterno (que é tentar diminuir ao máximo meu tempo de fazer personagens. Eu uso Fighter Factory 3, Tiny Task e agora também o Pivot Animator. Tenho listas de tarefas penduradas na parede e estudo dicas de organização, mas o tempo sempre parece faltar quando a gente é muito enrolado!) e meu projeto temporário:

“RoboCop – The REBOOT of the Law Enforcement” – Em um futuro alternativo, às vésperas da inauguração da automatizada cidade Delta, uma entidade desconhecida toma o controle do núcleo da cidade, ameaçando jogar toda a cidade (e talvez o mundo) no caos!

Na pressa de puxar a tomada, todas as unidades RoboCops são acionadas para abrir caminho até o local, mesmo que uma não reconheça a outra como estando do mesmo lado.

Robocop

É um fanfic na forma de jogo de luta, com personagens feitos à partir de fotos como se fossem brinquedos, inspirado naquele filme “A Chave Mágica”.

É o tipo a evolução “daqueles chars de papelão do Ryou Win”, mas desta vez as fotos são bem melhores! Também tem o fato de que sou doido por RoboCop e gosto de contar histórias.

 

Vocês podem conferir minhas criações em:

E para breve teremos: Alloy HD, Bonus Stage (carro), Otomo, RoboCop 3.0 (aquele do filme de 2014), Agent Miner e CHAPPiE.

Também estão nos meus planos o RoboCain 2 HD, Automan, o Passageiro do Futuro (CyberJobe) e personagens sub-chefes… incluindo alguns que já deveriam ter sido (ex)terminados!

 

 

Contatos

Youtube: https://www.youtube.com/user/RyouWin

Hobby & Mugen: http://ryouwin.smeenet.org/

Breves tirinhas, desenhadas na condução, sobre minhas criações de Mugen. Só nessa aqui:

http://ryouwin.smeenet.org/chun-li.shtml

Comentários
Loading...